A Arbitragem no Basquetebol de Formação

Blogue de basquetegrandola :Em órbita do Basquetebol, A Arbitragem no Basquetebol de Formação

Li ontem num blogue sobre a arbitragem que a UEFA vai manter a utilização experimental de equipas de arbitragem com cinco elementos nos jogos da fase de grupos da Liga Europa, que substitui a Taça UEFA, em Setembro. Esta decisão vem na sequência de experiências favoráveis nos torneios de apuramento para o Europeu de Sub-19, em finais de 2008.

Tal medida é um reflexo dos tempos de hoje, em que há muito mais competitividade, que é positiva se for encarada de forma saudável, e em que há também mais interesses em jogo se compararmos com a época em que se instituiu como sendo de 3 o número de árbitros no futebol. Hoje é exercida uma maior pressão sobre a arbitragem, a sua responsabilidade é maior. Mas se reflectirmos um pouco, verificamos que isso se passa em praticamente em todas as outras modalidades como consequência  da era globalizante em que vivemos.

Arbitrar não é tarefa fácil. Por um lado, considerando-se a velocidade a que se disputam os jogos, os árbitros devem estar preparados psicologicamente e fisicamente para seguirem as jogadas de perto de modo a assinalarem de imediato as infracções tomando as decisões adequadas, por outro lado estão sempre no olho do furacão e são sempre aqueles a quem se exige mais.

Compreende-se assim que no basquetebol, que até há alguns anos era arbitrado por dois juízes, se tenha também optado por 3 árbitros, primeiro nas competições internacionais e depois nas nacionais. Desta forma os árbitros correm distâncias menores e estão mais concentrados na análise dos lances do jogo, diminuindo assim a margem de erro.

Sucede, porém, que em Portugal o número de árbitros é insuficiente para cobrir todos os jogos e em especial nos escalões de formação, já que o campo de recrutamento de jovens para a arbitragem é reduzido.

Assim é comum que arbitrem os jogos dos escalões de formação pessoas ligadas ao basquetebol, normalmente pertencentes ao clube que joga em casa, tal como os oficiais de mesa, como pude verificar nesta época do CAB de Grândola em todos os jogos que a equipa de infantis disputou bem como nos jogos que vi dos iniciados. Recordo-me que o primeiro jogo da época dos infantis, em Palmela, esteve para não se realizar por não haver árbitros, mas com a chegada de dois elementos do nosso clube lá se deu início ao jogo. Houve jogos que apenas tiveram um árbitro com os grandes inconvenientes que isso acarretava para ambas as equipas. Pior ainda foi haver casos de flagrante parcialidade a favor da equipa da casa quer no julgamento de algumas jogadas quer no dar instruções aos jogadores como sucedeu no jogo Scalipus - Javalis, deturpando as suas funções como formador que é também o papel do árbitro nos jogos de escalões jovens. Outro aspecto que observei foi que na maioria dos casos os árbitros actuavam sobre o julgamento de situações, fazendo aplicar as regras do jogo, sendo as atitudes de acção preventiva pouco frequentes. Creio que seria uma boa ideia a AB de Setúbal procurar que todos os anos se promovesse um curso para árbitros e oficiais de mesa e que os clubes participassem, obrigatoriamente, neste curso com pelo menos um elemento.

Como escrevi mais acima arbitrar não é fácil. Um árbitro, independentemente do conhecimento das regras que deve possuir, tem que ser versátil, isto é, não pode arbitrar da mesma forma quando se trata de um jogo dos escalões de formação mais baixos ou quando se trata de um jogo de seniores.

Nos jogos dos escalões mais novos os árbitros não se podem deixar levar pelas emoções dos que os rodeiam porque estes jogos por vezes costumam ser bastante emotivos para os jogadores, treinadores, pais e amigos e como tal deve manter a calma  para que as coisas não fiquem fora de controlo.  Não devem esquecer a importância da comunicação com os jogadores que, dada a sua idade, aceitam melhor a sua decisão quando lhes é explicado o porquê.

Em suma, o papel do árbitro nos escalões de formação  é importante para criar um bom ambiente nos jovens envolvidos neste desporto.

Fernando Costa

 

arbitragem, árbitro

Friday 03 July 2009 23:23



Nenhum comentário A Arbitragem no Basquetebol de Formação



o seu comentário :

(Facultativo)

(Facultativo)

error

Atenção, os comentários insultuosos, racistas, etc. são proibidos neste site.Se alguma queixa for apresentada, utilizaremos o seu IP (54.205.95.9) para o identificar.     



abrir barra
Fechar barra

Deve estar conectado/a para escrever uma mensagem basquetegrandola

Deve estar conectado/a para adicionar basquetegrandola os seus amigos

 
Criar um Blog